COBERTURAS

Garantia de Execução Fiscal

Uma alternativa financeiramente melhor do que a de caução em dinheiro, de fiança bancária ou de penhora de bens. Com essa decisão você preserva seu fluxo de caixa e faz tudo com agilidade.

Saiba mais sobre o seguro garantia de execução fiscal

 

Para que serve o seguro Garantia de Execução Fiscal?

Se sua empresa possui uma dívida ativa com os governos Federal (União), Estaduais ou Municipais, ela pode ficar sujeita a uma execução fiscal. O seguro de Garantia Judicial de Execução Fiscal foi projetado para casos de processos judiciais como garantia para o pagamento de dívidas.

A lei nº 6830/80, popularmente conhecida como Lei de Execução Fiscal, estabelece os critérios que direcionam a execução de dívidas fiscais obtidas com o Estado, sejam elas referentes a impostos, multas fiscais ou taxas, que pode acarretar na necessidade de penhora de bens ou do uso do fluxo de caixa de sua empresa para quitar a dívida. O seguro de Garantia Judicial de Execução Fiscal é uma alternativa economicamente e financeiramente melhor do que a de caução em dinheiro, de fiança bancária ou de penhora de bens. Com essa decisão você preserva seu fluxo de caixa e faz tudo com agilidade.

Sua empresa, definida como tomador do seguro, contrata o seguro Garantia Judicial de Execução Fiscal com o objetivo de oferecê-lo como garantia ao órgão público credor, definido como segurado, que aceita essa garantia, sabendo que não será lesada em caso de não pagamento do tomador com relação àquela dívida ativa. A empresa que administra o seguro de Garantia Judicial de Execução Fiscal (a seguradora) assume o risco da dívida, recebendo o valor do seguro (prêmio) pago pelo tomador.

 

Vantagens do Seguro Garantia Judicial de Execução Fiscal

Para o Órgão Público, que é o credor e o beneficiário do pagamento, a vantagem está na garantia de saber que a dívida será quitada, pois as Seguradoras são empresas sólidas, com lastro que em economia é a garantia implícita de um ativo, altamente reguladas e especializadas em tomar risco, tornando o não cumprimento da dívida praticamente nulo.

Para a Empresa, que é tomador de limite de garantia judicial, a principal vantagem é poder embargar a execução fiscal sem precisar comprometer o patrimônio da empresa, o fluxo de caixa, evitando a penhora de bens e, em alguns casos existe até um risco de a Secretaria da Fazenda tomar os bens da empresa. A empresa poderá continuar a operar normalmente e manter seus investimentos durante o processo judicial.

Tudo isso, devidamente regulado pela Lei 13.043/14, Art. 73, em que autoriza expressamente o uso do seguro garantia de execução judicial para casos de Execução Fiscal e do Arrolamento de Bens e Direitos.

 

Entenda as partes que envolvem o Seguro Garantia Judicial

– Tomador: é a pessoa jurídica que contrata o Seguro Garantia Judicial buscando garantir ao segurado o cumprimento das obrigações assumidas em processos cíveis, trabalhistas ou fiscais. O tomador é responsável por pagar o seguro (prêmio) à seguradora.

– Segurado: é o credor da obrigação, ou o órgão público ou a empresa que contratou o tomador. O segurado é o beneficiário do seguro.

– Seguradora: é a pessoa jurídica que garante em caso de descumprimento do contrato, que o segurado será ressarcido dos eventuais prejuízos.

– Corretor: é a pessoa jurídica habilitada e autorizada a comercializar contratos de seguros, buscando confidencialidade nas informações confidenciais disponibilizadas e as melhores opções que garanta conforto ao tomador e ao segurado.

 

Resumindo todas as vantagens do seguro Garantia Judicial

– Não reduz as linhas de crédito da empresa;

– Custo menor comparado à carta de fiança bancária;

– Evita que o patrimônio da empresa seja imobilizado;

– Mantem inalterados o fluxo de caixa e a capacidade de investimentos;

– Substitui a penhora de bens;

– Liquidez imediata da apólice do seguro garantia judicial.

Como definir o valor do meu seguro de Garantia Judicial de Execução Fiscal?

Como regra geral, recomenda-se de que o valor do seguro, não seja inferior ao débito referido na sentença e, adicionando também 30% como margem para pagamento de honorários advocatícios e correções monetárias.

A seguradora estipulará um limite de crédito e a partir desse valor, sua empresa poderá emitir quantas apólices necessitar, sem interferir na linha de crédito da empresa nos bancos e sem quaisquer outros tipos de contrapartidas financeiras.

 

Como a Tuia Seguros está mudando as regras do jogo!

Tradicionalmente, empresários como você tinham que descobrir que tipos de seguro para o seu negócio são necessários e ainda qual a cobertura certa. A gente faz as coisas de maneira diferente. Todos os tipos de seguros empresariais são tratados de forma individualizada, com base na atividade do seu negócio, personalizamos de maneira simples exatamente o que você precisa.

Com a personalização, além da simplificação e da consultoria especializada da Tuia Seguros, você terá o benefício de redução do valor pago no seguro por ser feito sob medida, sem obrigação de contratar coberturas adicionais que você não precise, e ainda há a conjugação de várias coberturas em um mesmo seguro.

 

Compartilhe: